domingo, 20 de julho de 2014

Sebo nas tripas

Por Gilrikardo
Comentário vindo das ruas (aqui de Joinville SC) me diz que os famosos haitianos que há tempos entram no Brasil em busca de refúgio e opotunidades de sobrevivência, já estão com idéias de retornar ao Haiti. Perguntei qual o motivo se nem bem chegaram... parece que não estão contentes com a renda (em torno de dois salários minimos, carteira assinada, mais benefícios, alimentação e saúde), pasmem leitores, dizem que se é para passar fome preferem na terra deles.

Nesta hora lembrei-me de minha adorável avó que fez o seguinte comentário quando a moça que trabalhava lá em casa, meio período, começou a reclamar do serviço e do salário... a vovó simplesmente soltou: essa menina já está com sebo nas tripas. Isto é, já matou a fome, as primeiras necessidades, e deseja mais. Se assim é justo e natural, então que vá procurar outra fonte de renda... Não é trabalho de babá por meio período que resolverá a vida, pelo menos em nossa realidade Brasil.

Creio que tal raciocínio se aplica aos invasores (imigrantes!?!?) do Senegal, do Haiti, de Gana, da Colômbia, da Venezuela, da Bolívia, entre outros que aqui chegam agradecendo a opotunidade ao abraçar tudo e a todos....

MAS até criarem o tal sebo nas tripas, ou até a fome não mais humilhá-los, aí então, como bom humanos que são, mostram as garras, viram o coxo, e exigem melhores condições de vida... Pois que vão buscá-las em seus países de origem. Não damos conta nem dos nossos miseráveis.... e agora somos obrigados a ouvir lamentos em outros idiomas... ora, seus mal agradecidos, vão se catar! E em bom português.