sábado, 31 de agosto de 2013

Sessão de cinema

MEU PÉ DE LARANJA LIMA
 
 

Blog Diplomatizzando


Em tempos sombrios, como os que vivemos atualmente, quando o fascismo mental e o totalitarismo comportamental ameaçam sufocar qualquer postura independente, autônoma em relação à manada, sempre é bom pararmos um pouco para refletir se o conformismo com o autoritarismo dos que mandam é compatível com velhos valores e elevados princípios que consideramos relevantes na defesa de nossa própria dignidade, quando não com a integridade de certos princípios constitucionais que alguns totalitários insistem em negar. 
Eles não vão recuar, pois estão geneticamente comprometidos com a submissão a essas ditaduras do espírito, de tão triste memória no século 20.
Cabe aos que ainda conservam e preservam laivos de dignidade, no meio do fascismo ambiente, resistir intelectualmente a esses assaltos obscurantistas à razão e à dignidade humana. Eles sabem do que estou falando. 
Estou falando do quilombo de resistência intelectual, que não é uma Massada do pensamento porque não há renúncia nessa luta e muitos pensam como eu, mesmo dentro da fortaleza do pensamento único, mas que apenas não ousam ou não podem se expressar. 
Em certas horas, porém, é preciso ter coragem de sair em campo aberto e de lutar o bom combate para que o mal, a fraude e a mentira não prevaleçam. 
Sei que não estou sozinho nesse combate e mesmo que eu seja obscurecido pela censura ou temporariamente vencido pelo chicote da repressão, tenho certeza de que a mensagem permanece e de que a verdade prevalecerá. 
Hartford, 31/08/2013

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Índios

Por Gilrikardo

Os índios brasileiros tem DUPLA CIDADANIA, isto é para obter benefícios duas vezes. Pois dependendo da situação se apresentam como índio selvagem fantasiado, agora por exemplo querendo mais terra (não sei por quê), daqui a pouco, para comprar uma camionete ou uma moto, ou até mesmo uma televisão, os bugres voltam a ser cidadão relativamente incapaz, ou também quando cometem algum ilícito. Tem certas coisas que a gente leva uma vida inteira tentando entender e chega a lugar nenhum, para mim, o caso dos índios é o emblemático.

Embrapa



A jornalista Ana Esteves, Jornal do Comércio desta sexta, publicou nesta sexta-feira uma entrevista muito consistente com o ex-ministro da Agricultura, Luiz Fernando Cirne Lima. Ele tem falado muito pouco. Vale a pena ler tudo com atenção:


Ex-ministro da Agricultura volta a Esteio após 20 anos e destaca a evolução do agronegócio gaúcho

A pista de julgamento do gado Devon na Expointer voltou a ter um brilho especial neste ano, com o retorno a Esteio de um dos maiores mestres da pecuária do País: o ex-ministro da Agricultura do governo Médici (1969 a 1973), fundador da Embrapa, agrônomo e professor Luiz Fernando Cirne Lima. Ausente da mostra desde 1993, ele ressalta as grandes renovações vivenciadas pelo setor primário gaúcho, principalmente pela mudança de perfil, hoje com maior foco em gestão e menos na tradição. Em entrevista exclusiva para o Jornal do Comércio, Cirne Lima fala sobre sua volta à maior mostra agropecuária do Estado, a evolução da pecuária, da genética e do agronegócio gaúcho. (leia mais)


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O PT que a maioria não vê!

Zé Dirceu a caminho da cadeia: STF rejeita todos os recursos da defesa do subchefe do Mensalão. Celso de Mello, hoje, consagrou o STF como guardião da lei e da ordem no Brasil.

Celso de Mello, o herói do dia, garantiu cadeia para o subchefe do Mensalão, o bandoleiro e trambiqueiro José Dirceu, que junto com Lula e 40 ladrões, desbastaram os cofres públicos e uniram-se a empresários canalhas para corromper eleitores e parlamentares, visando emascular-lhes os votos e garantir vida eterna para o PT no Poder. Com o Mensalão, foram também julgados os governos Lula e Dilma, mais o PT. Todos são culpados e irão pra o lixo da história - alguns deles, para a cadeia.

Falácias médicas

Por Gilrikardo
Tenho lido nos artigos que pipocam a favor do programa Mais Médicos que no Brasil temos excesso de médicos. Pois aqui temos 2(dois) para cada mil habitantes, enquanto que em países evoluídos e sem “tragédias na saúde” a proporção é de 1(um) para cada mil. É aqui que a porca torce o rabo, aliás, que a comparação deixa a desejar. Como assim? 
Bem, lá no país onde existe um médico, é primeiro mundo, o cidadão já nasce cheio de vida, de energia, de anticorpos, de educação, e num ambiente higiênico com menos riscos de contaminações. 
Lá se vive bem nutrido em todos os sentidos. Material. Psicológico. Intelectual. Talvez, se arriscarmos uma análise mais rigorosa chegaremos à conclusão de que um médico é muito. Confrontando isso, em países como o nosso, talvez 2(dois) seja pouco, pois ainda convivemos com esgoto a céu aberto, a desnutrição grassando de norte a sul, a falta de educação e de informação contribuindo para disseminar doenças e maus hábitos alimentares. Finalmente nos resta dizer, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.


quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Eles chegaram

PRIMEIRO GRUPO CHEGA AO BRASIL



Quem gosta de frio é o turista

Dia 23 de julho publiquei este texto em homenagem àqueles que sofrem com as baixas temperaturas, principalmente estudantes e os menos favorecidos. Para minha surpresa, dia 27 de agosto uma reportagem da Rede Sul de Rádio confirmou aquilo que eu havia dito trinta e tandos dias antes. Logo abaixo foto e reportagem abordando a neve de 27ago2013 em Vacaria RS.

Por Gilrikardo




Nos últimos dias o frio tem sido dolorido. Sim, o frio provoca-me dores e lembranças, sobretudo dos dias em que levantar de manhã para ir à escola era uma tarefa para poucos. Pois em muitas ocasiões éramos meia dúzia de persistentes e entusiasmados alunos em frente à sala de aula. Até a chegada do diretor e o convite para que voltássemos para casa devido ao excessivo rigor da baixa temperatura e a impossibilidade de segurar o lápis. Como não havia telefone nem intenet naqueles tempos, sofríamos com aquela falta de critérios em determinar quais dias teríamos aula ou quais dias a temperatura seria suportável a maioria.

Na volta para casa, quase todos e com razão, soltavam o verbo, eu em minhas reclamações aproveitava para xingar de bobos aqueles que apareciam em frente aos hotéis, geralmente cinco estrelas, sorrindo e bendizendo a temperatura abaixo de zero... chamava-os de hipócritas. 
Pois desejava vê-los acompanhando-nos num dia de escola. Desde o alvorecer até ao fim da tarde. Quando nos rendíamos encorujados, com os beiços rachados pelo massacre do vento, as orelhas roxas, parecendo que iam cair e o nariz pingando qual torneira quebrada. Os pés então, era lamentável quando não se tinha um calçado totalmente fechado... a umidade mais o frio produziam frieiras monumentais... 
Desde aqueles dias desejava-me longe. Consegui. Hoje só restam as lembranças e conferir na tevê a imagem dos turistas cheios de roupas, garbosos, bem alimentados em frente aos hotéis ou dentro de seus carros com ar condicionado, segurando suas câmeras digitais e pedindo para os céus mandarem uma nevezinha, é o friooooo!!!


***************





Mais de 15 mil alunos sem aula em Vacaria

Escolas de Educação Infantil estão trabalhando em sistema de plantão
Mais de quinze mil alunos das escolas municipais, estaduais e particulares estão sem aula nesta terça-feira, 27/08, devido a intensa neve registrada em Vacaria. Também foram suspensas as atividades na APAE e no Projeto Florescer. 
A coordenadora regional de educação, professora Joara Dutra Vieira, informa que não haverá aula nas escolas da rede estadual de todos os municípios de abrangência da Coordenadoria. 
A secretária municipal de educação, professora Luzmari Camargo, também informa que não haverá aula para os alunos do Ensino Fundamental das escolas municipais no turno da tarde e à noite. Porém ressalta que as Escolas de Educação Infantil estão trabalhando em sistema de plantão. Relata ainda que as aulas de hoje serão recuperadas em um sábado. 
Os municípios de Muitos Capões, Monte Alegre dos Campos e Campestre da Serra também suspenderam as aulas hoje. por Anelise Donazzolo (Rádio Fátima AM), dia 27/08/2013 às 10:43


terça-feira, 27 de agosto de 2013

Neve em Vacaria RS



Rhaissa e o pai Aroldo em dia de neve 27/08/2013 Vacaria RS



O emblemático Marcos Q.

Por Gilrikardo

_Quando se fala em justiça, sistema judiciário, leis, ordenamento jurídico, “puliça”, autoridade, cidadão e ladrão, se tem a impressão de que tudo está de acordo como deveria estar e nos damos por satisfeitos pelos resultados advindos dessa “mistureba” de conceitos que teriam, sobretudo, a missão de garantir o mínimo, desde o mínimo cidadão até o rei, se por acaso existisse. 

_Entretanto, basta um paraquedista chegar em nossas terras, e aqui se travestindo de mega empresário, para nos depararmos com o fruto da dúvida, ou com a certeza de que algo nessa conta não fecha. 

_Vejamos. O senhor Marcos Q. aplica o famoso um-sete-um (estelionato) em centenas de pessoas e parece não se abalar muito com o fato de estar numa segura cela. E com razão. Nestes primeiros dias, restou a dor de centenas de miseráveis ludibriados em busca de reaver aquilo que nunca será como dantes, pois o golpista já sinalizou que não tem nada e que tudo não passou de uma série de eventos fora de controle que o levaram a sucumbir diante das dificuldades. Isto é, não tenho nada a ver com isso, tenho dois advogados para dizerem isso por mim, justifica-se (nunca faltarão palavras a quem a lábia privilegia). 

_E aí se traduz a lógica do que representa a justiça entre nós. Para o bandido, para o delinquente, para o meliante, enfim, para o transgressor do código tudo se apresenta mais fácil e com mais poder de prontamente fazer valer suas vontades e garantir seus “direitos”. E ai daquele que não respeitar tais preceitos, pois apesar de uma cidade inteira, ou 500 mil pessoas, compartilharem dos ocorridos, não se pode nem supor que o “falastrão” é estelionatário, só podemos sim, imaginar que se trata de um suspeito, e até se julgar e transitar em julgado, é inocente e digno de nosso respeito. 
_PODE um troço desses?!?!? É lícito o direito de um picareta consagrado sobrepor-se a centenas de vítimas e centenas de testemunhas afetadas pelas práticas ilegais dum pintor de paredes?!? 
_SIM, aqui em nosso meio, aqui onde a justiça parece ser cega, surda e muda, os valores sofrem mutações incompreensíveis (só legível para a lei) cujo teor os levam para o rol das anedotas do Brasil, tais como aquela que só mandamos para a cadeia ladrão de galinha. 
_Noutros termos, apesar das acusações e da cadeia em que se mantém seguro, é emblemática, é significativa, é EXEMPLAR a superioridade e confortável estratégia legalmente proporcionada ao ladino Marcos Q. FRENTE aos naturais despreparo e desamparo moral das vítimas cujas chagas sangrarão por “long time”. Coisas vida, diriam! 

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Onde estamos...

Gilrikardo disse: ao examinar nossa posição no "ranking", veio-me a imagem do senhor Lula e da senhora Dilma aplicando lições de política e economia aos ditos do primeiro mundo... é rir, para não chorar!


EUA: 108 anos. O PIB per capita do Brasil foi de US$ 11.875 em 2012 e tem crescido a uma taxa média de 4,5% ao ano. Nesse ritmo, o país levaria 33 anos para atingir o mesmo patamar que os EUA têm hoje (US$ 49.922). Mas como nos EUA o indicador também cresce (3,1% ao ano), somente em 108 anos o PIB per capita dos dois países se igualaria (continua)

domingo, 25 de agosto de 2013

Percival Puggina

CUBANOS NÃO SÃO HUMANOS?

Em 2001, em visita a Cuba, fui à embaixada brasileira. Ela se situa no quarto andar do prédio da Lonja de Comércio (Bolsa de Valores), uma bela edificação do século 19. Conversei com o secretário. Eu queria checar minhas observações sobre a realidade do país. Durante a entrevista, entrou na sala uma moça que lhe dirigiu algumas palavras em espanhol e se retirou deixando expedientes sobre a mesa. Quando ficamos novamente a sós, ele explicou que a servidora fora contratada junto a uma das duas agências oficiais através das quais o governo locava mão-de-obra para organizações estrangeiras no país. O contratante descrevia o perfil da pessoa que necessitava, a agência estabelecia o valor da remuneração e enviava pessoas para entrevistas. No caso, dos 200 dólares com que a embaixada remunerava a agência, a moça recebia o equivalente (em pesos!) a 20 dólares. O restante ficava para seu generoso patrão, o Estado cubano. 

Portanto, quando eu leio, em várias fontes, que deve ser nessas mesmas bases o negócio entre Brasil e Cuba (R$ 10 mil mensais por cabeça para o patrão) e uns 10% disso para os médicos, eu não tenho por que ficar surpreso. Ouvi esse relato de viva voz. Há muitos anos sei que o patrão comunista é um velhaco cujos padrões morais causariam horror a um capitalista do século 18. Meu escândalo com seus abusos já é bem antigo. Que cidadãos daquele país aceitem morar nos rincões brasileiros por uma ajuda de custo miserável vale como certidão, passada em cartório, sobre o que seja viver em Cuba. Não obstante, o convênio firmado com o ministro da Saúde brasileiro ilustrava orgulhosamente a matéria de capa do site da OPAS na última sexta-feira (http://www.paho.org/bra/). Não se trata, ali, de salários e valores, talvez por falsos pudores. E ninguém conseguirá arrancar dos profissionais que vierem informação alguma sobre quanto os Castro lhes estarão pagando para atuarem no Brasil.

O leitor deve estar se perguntando: "E as famílias deles? Eles não vêm com a família?". É óbvio que não. Isto está fora de cogitação. Nestes casos, tratando-se de cidadãos cubanos no exterior, a família costuma ser refém do governo, proporcionando relativa garantia de que o infeliz retornará ao cativeiro. Aliás, estamos diante de um duplo cativeiro porque também no Exterior a situação desses profissionais seguirá disciplina própria, para cujo controle lhes costuma ser imposta fiscalização exercida por agentes do governo cubano. Normalmente, ao menos, as coisas se passam assim. E mesmo que esses fiscais não venham, mesmo que não se apliquem ao convênio firmado pelo ministro Padilha as regras vigentes em outros países, já está para lá de configurada uma situação de servidão, de escravidão, de exploração indecente do trabalho humano. Ficou muito claro, também, que essa operação está sendo cozida há muito tempo, à socapa, abordada de modo evasivo pelo governo. Ninguém monta uma operação dessas em uma semana. Há objetivos eleitorais focados nas comunidades interioranas e há Foro de São Paulo nisso.

Basta o que se sabe para caracterizar nesse acordo abuso capaz de acionar até os mais ideologicamente focados alarmes dos órgãos de direitos humanos, quer sejam do governo, quer da sociedade. A pergunta que me ocorre nesta sexta-feira chuvosa em que escrevo é a seguinte: "Cubanos não são humanos?". Que Cuba escravize seus cidadãos é uma coisa inaceitável. E o Brasil convalida isso?

ZERO HORA, 25 de agosto de 2013

sábado, 24 de agosto de 2013

FESTA DA GRACIOSA

Por Gilrikardo

ORIGENS AÇORIANAS > Foi com o advento da internet e por mera curiosidade que  descobri minhas origens açorianas. O registro da chegada do primeiro açoriano Gil foi em São José SC e logo destacado para ser alferes em Santo Antonio da Patrulha RS, e de lá para cá, somos quase dois mil descendentes em Canela, Gramado, São Francisco de Paula, Caxias do Sul e região. Lembro de meu pai há mais de trinta anos a dizer, se encontrar alguém daquelas bandas, e for Gil, pode pesquisar que é parente. E tal teoria hoje em dias de internet é facilmente comprovada. Aqui deixo uma homenagem aos açorianos que fazem parte do DNA brasileiro, e principalmente com muito orgulho do meu também.





sexta-feira, 23 de agosto de 2013

-Dona Argentina, até quando?

Por Gilrikardo

O Brasil, o trigo e a Argentina estão em eterno rebuliço. Desde as primeiras escritas de Monteiro Lobato cujo artigo publicado em 1916/17 já nos dava conta desta pendenga. Simplesmente não dá para entender tal relação. A dona Argentina pinta e borda em cima do seu Brasil até dar dó, parece brincadeira, mas é verdade verdadeira!


Grande Empresário ou Grande...

Por Gilrikardo

Olha o carro do Grande Empresário! Golzinho baleado!
Sabe-se lá quantas pessoas foram lesadas pelo pintor de paredes Marcos Queiroz. Pois existem aquelas que não estão dispostas a “perderem” mais tempo com algo que vai dar em lugar nenhum. Infelizmente situações piores não deram em nada. A nossa justiça parece que não é nada justa. É ver as centenas de pessoas lesadas sendo obrigadas a correrem de um lado a outro (qual galinhas tontas) em busca de seus direitos e compará-las com a tranquilidade do estelionatário que já se armou com dois ou mais advogados pagos com o dinheiro que provavelmente ele não tinha. 
Em meio a essa comoção, lembro-me de que por diversas vezes vi o automóvel dele passar aqui em frente de casa, anunciando altas promessas... algo que me chamava à atenção era o modelo do veículo anterior ao gol bola (confira na imagem), ao que me indagava não ser compatível com um empreendimento imobiliário tão grandioso. Não tinha nada a ver com aquilo, acreditava que pessoas mais próximas estariam cientes da pessoa que ali se apresentava - grande empresário do ramo imobiliário. 
Hoje percebo com maior clareza que muitos foram os "culpados", e alguns com o mesmo envolvimento que eu, ou seja, só pelo fato de desconfiar e não levar adiante. Isso ocorreu com várias pessoas, tal como agora, eu aqui confessando, ditas pessoas tiveram a mesma percepção e não levaram adiante. Entre as quais um jornalista que achou estranho o Marcos Queiroz estar vendendo cimento mais barato que o preço de compra realizado pela concorrência. Mesmo com isso comprovado não se deu ao trabalho de passar a denúncia aos órgãos competentes ou o caso do radialista que há meses atrás serviu ao Marcos na produção de alguns áudios para comerciais e até hoje não viu a cor do dinheiro. 
Existem muitos "Marcos" por aí, prontos para aplicar o golpe. E o lamentável nessa história é que em alguns casos conseguem com a colaboração dos ludibriados. Graças também ao não envolvimento daqueles que desconfiam e não fazem nada, aos colaboradores mais próximos que testemunham atos ilícitos e silenciam. Debita-se ainda aos concorrentes e fornecedores cujo mercado compartilham, e mesmo assim, se fazem de cegos, surdos e mudos. Talvez por conta da preguiça de perder alguns minutos ao formalizar uma denúncia, mesmo que anônima. Entretanto, nem tudo está perdido, sobra a lição, principalmente para mim, que diante de algo incompatível, ou suspeito, devemos agir em defesa da comunidade e tentar fazer o bem sem olhar a quem.



O poderoso empreendedor imobiliário.


O pintor e picareta em seu camburão.


quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Opinião do leitor

Brasil não pode tolerar trabalho escravo de médicos apenas para ajudar a balança comercial de Cuba


4.000 médicos a R$ 10.000 por mês, significa para Cuba uma renda de US$ 200 milhões por ano. Colocaram outra instituição de intermediária, a Organização Panamericana de Saúde, só para enganar os mais bobos. É porque Cuba necessita de caixa, e de subsídios de governos que comungam a sua ideologia, que este negócio está saindo. Cuba está falida desde a década de 80, quase morreu de fome quando os russos cortaram os subsídios. Sobrevive por esmolas de cubano-americanos, com o turismo e com os subsídios dos que comungam a sua ideologia, como Venezuela, e empréstimos do governo brasileiro, sempre perdoados. O incrível é que os médicos estão sujeitos ao confisco do valor de seu trabalho, ou em outras palavras, o governo do Brasil e de Cuba estão se apropriando do fruto do trabalho humano, ou da "mais valia" como pregava Karl Marx. Trabalho escravo mereceria um editorial da imprensa livre, e com a coragem de arriscar perder as verbas de publicidade oficiais e das estatais. 


Artur Zelain Martins, Porto Alegre.

O PT que a maioria não vê

Gilrikardo disse: Enquanto milhões de apoiadores (eleitores) do PT continuarem alheios aos mandos e desmandos dum partido em busca de se eternalizar (a qualquer custo) no poder, paulatinamente somos brindados com ações deploráveis, confira, argh!

Contrato coletivo com os médicos escravos da ditadura

Escravos, sim. Com os poucos europeus que vieram para o Mais Médicos, o contrato é individual. Com os cubanos, o contrato é via ditadura dos irmãos Castro, que maneja o pagamento. Trecho de post no blog do Reinaldo:
É importante salientar que o contrato do governo brasileiro com médicos espanhóis, portugueses ou de qualquer outro país é celebrado com cada profissional. No caso dos cubanos, o pagamento será enviado à ditadura cubana., que, então, se encarregará de pagar os profissionais — que continuarão a obedecer as ordens daquele regime. É um escândalo: o Brasil pagará R$ 10 mil por médico, e Cuba repassará a cada profissional quanto bem entender — na Venezuela, era quase uma ajuda de custo. Os familiares dos profissionais que foram “exportados” para o regime de Chávez, por exemplo, ficaram na própria ilha, para impedir a deserção. O mesmo acontecerá com os que vierem para o Brasil — até porque eles não teriam como sustentá-los aqui. A ilha comunista transformou seus médicos numa fonte de renda. Entre trabalhar por uma ração em seu país e a chance de ganhar algum dinheiro, ainda que miserável, no exterior, preferem a segunda opção. Atenção: só esse lote de 4 mil médicos renderá à ilha R$ 40 milhões por mês. Ainda mais grave: na Venezuela, os médicos cubanos obedecem ao comando de… cubanos! A qualquer momento, os considerados rebeldes podem ser enviados de volta a seu país, sendo substituído por outros. 
Vamos ver como vai atuar o Ministério Público do Trabalho no Brasil. O trabalho similar à escravidão não pode ser exercido em solo brasileiro por nativos ou por estrangeiros. O fato de Cuba escamotear essa prática com o manto da ideologia, ou sei lá do quê, não muda a sua essência. Na Venezuela e no Brasil, a forma de contratação dos médicos viola a Convenção 29 da Organização Internacional do Trabalho. (Continua).

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Segredos da felicidade

"Não desejes e serás a pessoa 
 mais rica do mundo"

Cervantes, Miguel


21 de agosto

Nesta data querida
Parabéns para mim


Rola na rede

Gilrikardo disse: REPASSANDO
......................................................
 
GENIAL!!

ASSALTO MUITO INTERESSANTE


Durante um assalto o ladrão de bancos gritou para todos os clientes que estavam na agência: "Não se movam! O dinheiro pertence ao Estado, mas suas vidas pertencem somente a vocês!"
Todo mundo no banco deitou-se calmamente no chão. Isso é chamado de "Mudando o Conceito Mental". Mudar a forma convencional de pensar.
Quando uma senhora apresentou-se sobre a mesa provocativamente, o ladrão gritou para ela: "Por favor, seja civilizada, isto é um assalto e não um estupro!"
Isso é chamado de "Ser Profissional" Concentre-se apenas no que você foi treinado para fazer!

Quando os assaltantes voltaram para casa, o ladrão mais jovem (MBA treinee) disse ao ladrão mais velho (que só completou seis anos na escola primária): "Grande mestre, acho que já podemos começar a contar o quanto nós arrecadamos!"

O assaltante mais velho rebateu e disse: "Você é muito estúpido. Há tanto dinheiro nessas sacolas que vai levar um tempão pra gente contar tudo. Hoje à noite, o noticiário da TV vai informar a quantia total que nós roubamos do banco!"

Isso é chamado de "Experiência". Hoje em dia, a experiência é mais importante do que as qualificações do papel.

Depois que os ladrões saíram, o gerente do banco disse ao supervisor bancário para chamar a polícia rapidamente.

Porém o supervisor lhe disse: "Espere, vamos retirar 10 milhões de Reais do banco pra nós mesmos e adicioná-lo aos 70 milhões que já desviamos do banco!".

Isso é chamado de "Nadar a Favor da Maré". Converter uma situação desfavorável em benefício próprio!

O supervisor diz: "Vai ser bom pra nós se houver um assalto a cada mês."

Isso é chamado de "Morte do Tédio". Felicidade pessoal é mais importante do que o seu trabalho.

No dia seguinte, o noticiário da TV informou que 100 milhões de Reais, foram retirados do banco. Os ladrões contaram e contaram e contaram, mas eles só podiam contar o montante de 20 milhões. Os ladrões ficaram muito irritados e reclamaram: "Nós arriscamos nossas vidas e só levamos 20 milhões de Reais. O gerente do banco levou 80 milhões com apenas um estalar de seus dedos. Parece que é melhor ser gerente do que ser ladrão!!!"

Isso é chamado de "Conhecimento Que Vale Tanto Quanto Ouro".

O gerente do banco estava sorrindo, feliz, já que suas perdas no mercado de ações foram agora cobertas por este roubo.

Isso é chamado de "Aproveitar as Oportunidades". Ousadia para assumir riscos!

Extraído e adaptado de:
Conde de Kakflour.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Nunca-antes-na-historia-desse-país

por zope última modificação 30/07/2012 11:27

Na década de 1970, a agricultura se intensificava no Brasil. O crescimento acelerado da população e da renda per capita, e a abertura para o mercado externo mostravam que, sem investimentos em ciências agrárias, o País não conseguiria reduzir o diferencial entre o crescimento da demanda e o da oferta de alimentos e fibras.

No âmbito do Ministério da Agricultura, um grupo debatia a importância do conhecimento científico para apoiar o desenvolvimento agrícola. Nesse momento, os profissionais da extensão rural começaram a levantar a questão da falta de conhecimentos técnicos, gerados no País, para repasse aos agricultores.

O então ministro da Agricultura, Luiz Fernando Cirne Lima, constituiu um grupo de trabalho para definir objetivos e funções da pesquisa agropecuária, identificar limitações, sugerir providências, indicar fontes e formas de financiamento, e propor legislação adequada para assegurar a dinamização desses trabalhos. 

Em 7 de dezembro de 1972, o então presidente da República, Emílio Garrastazu Médici, sancionou a Lei nº 5.851, que autorizava o Poder Executivo a instituir empresa pública, sob a denominação de Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura. O artigo 7º estabelecia um prazo de 60 dias para a expedição dos estatutos e determinava que o decreto fixasse a data de instalação da empresa. O Decreto nº 72.020, datado de 28 de março de 1973, aprovou os estatutos da Empresa e determinou sua instalação em 20 dias. Este foi atualizado em 04 de agosto de 1997 pelo Decreto n° 2.291.n (continua)

Quem sabe, sabe!


Socorro... Chamem os pais

Gilrikardo disse: Enquanto os responsáveis pelos filhos que põem no mundo não se comprometerem com os respectivos papéis de pai e de mãe, muito ainda deveremos suportar. 


O site www.zerohora.com.br desta tarde, informou que a Polícia Civil de Eldorado do Sul, na Região Metropolitana, entregou ao Ministério Público (MP) a conclusão da investigação do incêndio que atingiu dois prédios da Escola Municipal La Hire Guerra há uma semana. Dos nove adolescentes apontados como envolvidos no ato infracional, apenas um não tem ligação com o colégio — como aluno ou ex-aluno. Leia mais:

. Conforme o delegado Alencar Carraro, alguns adolescentes confessaram a ação em depoimentos, acompanhados de advogados e pais. Um deles se apresentou na manhã desta segunda-feira. Eles teriam ingerido bebida alcoólica antes de colocarem fogo em dois prédios do colégio, pouco depois da meia-noite da segunda-feira passada. A polícia estima um prejuízo de aproximadamente R$ 1 milhão. 

— Ainda não posso revelar detalhes das medidas que sugerimos ao MP, mas fomos bastante duros e enérgicos. Concluímos que não houve motivação para o ato, foi vandalismo puro — diz o delegado.

Os adolescentes com idades entre 15, 16 e 17 anos, são repetentes e estão entre o 6º e 7º ano. Eles já teriam participado de outros atos violentos, como agressão de colegas e arrombamento da lancheria da escola.

- Os atos foram de vandalismo puro e replicam eventos recentes de enorme impacto criminoso. O editor registra sobre o que ocorreu: 

1) A perda de valores move os delinquentes, sejam eles juvenis, como esses bandidos, ou seja adultos celerados, um problema que a curto prazo apenas legislação muito mais dura e cumprimento na base da tolerância zero poderá minimizar. 

2) A impunidade generalizada, começando de cima, aciona os piores instintos pessoais de renegados sociais reconhecidos, o que a curto prazo apenas o Judiciário terá condições de atacar, punido exemplarmente os bandidos de colarinho branco alojados nos governos, no setor público em geral e nas camadas superiores da sociedade.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Séneca

"É melhor saber coisas inúteis do que não saber nada"

Babacas sem era nem bera


Movimento B.S.E.N.B.

domingo, 18 de agosto de 2013

Mensagens na rede

Por Gilrikardo

Aqui um alerta para as mensagens repassadas sem crivo algum. Já fiz um teste em alguns emails recebidos á toa, fui pesquisar e surpreendi-me pelos retalhos de fatos, datas, pessoas, tentando vender uma idéia... tento me vacinar contra essa barbárie... mas dúvido que seja preocupação para a grande massa de internautas cujos números impactam em pesquisas que por consequência afetam ações políticas de todas as naturezas e assim refletem de alguma maneira diretamente sobre nossas vidas.

Brasil


sábado, 17 de agosto de 2013

Doce lembrança

Meus oito anos 
Por Casimiro de Abreu

Oh que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais


Meus oito anos
Por Gilrkardo




Não havia energia elétrica, o banho era numa bacia. Naqueles dias, geralmente ao findar da tarde, a euforia tomava conta de mim. Pois logo estaria a realizar-me em aventuras muito além da imaginação. Nunca perguntei ao meu pai o porquê daquela iniciativa, parece que os filhos são acostumados a não medir a dimensão dos atos paternos, ou talvez se enquadre naquela máxima fazer o bem sem olhar a quem. Sim, fazer o bem, foi assim que recebi aquela surpresa em minha vida. E olha o “estrago”. Quarenta e tantos anos depois, e graças a internet pelas imagens, tenho a oportunidade de garimpar em minhas memórias momentos derradeiros.  Quando após o jantar, a noite recém chegada, corria para meu quarto e lá estava a iluminar a vela próxima da cabeceira. Conferia minhas mãos, deveriam estar limpas, sem gordura ou restos da janta. Era preciso cuidar muito bem das páginas que viriam a seguir. Meu pai entrava no quarto e nas mãos um volume novinho da Delta Júnior Enciclopédia cuja leitura me embriagava. O cheiro de tinta e papel marcavam o clima daqueles momentos de aventuras. A cada página desvendada nascia em mim o desejo de ir além, e assim aprendi a usar a imaginação, pois se o tema eram as caravelas, logo me ajeitava em alguma e rumava até onde meus sonhos levavam, sim, sonhos, pois muitas vezes continuava minhas leituras dormindo. Que mais um guri de oito anos poderia desejar. Nada. E nada desejei. Sentia-me a criança mais feliz deste mundo, lá naquele cantinho a esperar o fim da tarde, abraçar meus livros, ler e suspirar diante das descobertas.




P.S. "Faço deste uma dedicatória ao professor e blogueiro do "Diplomatizzando" senhor Paulo Roberto de Almeida"


sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Para encerrar uma sexta-feira de muito frio

 
Laura Pausini
 
Na tua ausência
 
 

Opnião pública e o poder do rádio

Por Gilrikardo

Prezado Senhor Rogemar Santos

Desde minhas mais tenras memórias que acompanho os programas radiofônicos. Hoje afirmo com toda a convicção que devo muito de minha formação crítica às palavras de inúmeros radialistas cuja audição dedicava em qualquer período das vinte e quatro horas do dia, pois em diversas ocasiões amanhecia com o “radico” ao lado devido ao trabalho noturno em que exercia minhas atividades profissionais. Assim, aprendi inclusive a respeitar alguns poucos e descartar pretensos formadores de opinião que de opinião só tinham palpites. Pois qualquer assunto que se coloque no ar, entendo que se deve ter a consciência da quantidade de pessoas abrangidas, além do grau de discernimento respectivo cujos reflexos certamente atingirão a comunidade. 
Por isso, lhe dirijo esta em alusão ao teu comentário no programa de hoje pela manhã na Rádio Cultura, aproximadamente 7 horas. Quando o assunto era o Vigorelli e você tratou, em minha opinião, muito amadoristicamente, sem isenção, sem compromisso jornalístico, postando-se inclusive ao lado dos manifestantes invasores, tecendo comentários recheados de termos do coitadismo... isto é, eles não tem água, não tem energia, não tem esgoto, não tem estrada, não tem meio de transporte... e isso está CORRETO, pois todos sabem que aquela área não está sujeita à urbanização, é terreno de marinha*, e quem para lá foi sabia disso, e se lá fincou um palanque, fincou sabendo que a terra não era propriedade dele ou dela, sei lá. Eu sou um cidadão comum, nunca invadi área alguma, procuro diariamente praticar a cidadania do respeito às leis e aos membros de minha comunidade. Portanto, ao ouvir um formador de opinião com a tua categoria ficar contra a lei, deixou-me indignado e querendo puxar-lhe a orelha, então considere esta um puxão de orelha e não macules tua trajetória de radialista ao tecer comentários sem muita base legal. Deixo a sugestão para que em casos mais complicados, isto é, onde existe uma certa polêmica, procures estudar o assunto com cautela porque tua opinião poderá estimular ainda mais a invasão de locais proibidos. Continuo admirando teu trabalho e sendo um ouvinte cativo, caso contrário não estaria aqui dedicando-lhe estas palavras. 

Um forte abraço. 
*CONCEITO E NATUREZA JURÍDICA 
O Decreto-lei nº 9.760, de 5 de setembro de 1946, ora em vigor, estabelece, em seus arts. 2º e 3º, a conceituação legal dos terrenos de marinha e acrescidos, respectivamente: 
Art. 2º. São terrenos de marinha, em uma profundidade de 33 (trinta e três) metros medidos horizontalmente, para a parte da terra, da posição da linha do preamar-médio de 1831: 
a) os situados no continente, na costa marítima e nas margens dos rios e lagoas, até onde se faça sentir a influência das marés; 
b) os que contornam as ilhas situadas em zona onde se faça sentir a influência das marés. 
Parágrafo único. Para os efeitos dêste artigo, a influência das marés é caracterizada pela oscilação periódica de 5 (cinco) centímetros, pelo menos do nível das águas, que ocorra em qualquer época do ano. 
Art. 3º. São terrenos acrescidos de marinha os que se tiverem formado, natural ou artificialmente, para o lado do mar ou dos rios e lagoas, em seguimento aos terrenos de marinha.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

E o ser

Por Gilrkardo

Parece-me que as pessoas já nascem com a necessidade de crer num deus, ou num estado, ou melhor ainda, nos dois que é para garantir a felicidade lá e cá. 
Aos descrentes, aqui me incluo, resta o caminho das pedras, o aprendizado a duras penas, as lágrimas com gosto de sal e sangue oriundas da experiência de tentar ser o que se é, isto é, como disse o poeta, humano, demasiadamente humano.

Coisas da vida

Mister Eme

Por Gilrikardo

Se hoje, com meio século de existência, julgo-me portador de certa ingenuidade que poderia até classificar de patológica. Imagine então, há trinta e tantos anos, representava nesta terra o Cândido* em carne, osso e candura. Nada era feio. Nada era ruim, tampouco existia a maldade. O mundo era um festival de boas intenções, se algo desse errado, de imediato concluía, obra do acaso, nada proposital. Até o dia em que o rumo das coisas apontou outras direções e percebi que tinha muito mais a descobrir sobre a vida. Geralmente aprendemos pela dor, e no meu caso não foi diferente, foi pela experiência de terror vivida no início da adolescência. 
Encontrava-me ao redor de uma mesa entre “amigos” e “conhecidos”, era um jogo de cartas, muito comum lá pelas bandas onde fui criado. Bastava alguns “de varde*”, algumas moedas ou notas no bolso, e pronto, se instalava o cassino. O que iniciava como simples passatempo, logo se mostrava uma batalha entre os egos malandros, ambiciosos, valentões, bobalhões, enfim, era ali que comecei a perceber as transformações humanas, e isso com meu ingênuo olhar que naturalmente ainda não era capaz de prever a profundidade ou consequências dos atos que poderiam advir duma rodada com aquela malta. 
Como não tinha recursos financeiros para entrar no jogo, contentava-me em observar como era que aquilo funcionava. Entre a  fumaça e o cheiro de bebidas alcoólicas que permanecem em minhas narinas até hoje, aquela turma passava as tardes, ou as noites, dependia das sobras financeiras. Alguns não tinham esse problema, tinham sim muitos outros, menos a falta de dinheiro, e entre eles Mister Eme (esqueci-me de seu nome). Era um sujeito que se arranjou na vida aplicando o famoso golpe do baú. Casou-se com a única filha (feia qual canhão, coitadinha!) de uma viúva que além de rica, gerenciava uma grande propriedade rural de sol a sol. Mister Eme, um vagabundo de primeira, nunca havia trabalhado na vida, o pai tinha um pequeno pedaço de terra, suficiente para não morrer de fome. E o que um vagabundo faz quando ganha um monte de dinheiro... oras bolas... fará o que sempre fez... nada! Sim, continuava na mesma vida, só que de automóvel zero quilômetro e a guaiaca recheada. Foi com ele que vi pela primeira vez o novo carro da Chevrolet, o Chevette... o primeiro da região! 
Naquele ambiente existiam muitas outras figuras, mas hoje o que me trouxe aqui foi a lembrança de uma noite fria entre os “camaradas” e a “jogatina”. Lá pelas tantas, percebi o Mister Eme pegando uma carta que não seria a “da vez”, isto é, estava roubando, de imediato gritei que não era aquela, pois em minha cabeça se eram amigos, não poderiam roubar uns dos outros (esse era o Cândido). Foi quando o Mister Eme puxando um revolver do tamanho de uma espingarda, apontou em minha direção e mandou-me ficar sentado ao lado dele, pois assim eu poderia “cuidar” melhor do jogo. Num primeiro instante imaginei ser brincadeira, mas foi perceber o olhar do resto da turma para entender a gravidade do problema. Eu não conhecia o lado negro daquela figura, não tinha dimensão de onde estava a meter-me. Comecei a tremer (era isso que o filho da puta queria) e o ar de bandido baixou naquele sujeito. Imaginem o vagabundo, legítimo pé de chinelo se achando cheio de poder. Poderoso. Pronto para arrepiar, humilhar e dizer a todos que ali ele era o maioral. Eu imóvel, não mexia nem os olhos, só tremia... todos notaram meu estado de pânico total, e aos poucos começaram a tentar amenizar o impacto daquilo. Num determinado momento, meu algoz, disse que iria "tirar a água do joelho", pegou a arma,  apontou para mim e foi em direção ao banheiro, a três metros da mesa. Abriu a porta e não entrou, disse que iria mijar dali mesmo, para não perder a mira. Surtei. E agora. Graças a presença de espírito de um colega de escola que ali estava, percebendo a oportunidade se colocou em frente ao revolver e com a cabeça sinalizou para eu correr. Corri. Não olhei para trás. Só ouvi o estampido de dois disparos. Jurei naquele momento nunca mais chegar perto daquele sujeito.
Cumpri a promessa, segui minha vida em outras querências e tempos depois, retornando à cidade em férias, perguntei para alguém sobre o vivente, e pela primeira vez senti a alegria pelo fim de uma pessoa. Segundo relato, numa noite de muita chuva e intenso frio, Mister Eme e um amigo pegaram duas meninas na saída do colégio e as levaram a mais de cinquenta quilômetros em estradas de chão batido (com chuva, puro barro), tentaram, elas negaram, então deixaram as duas nuas a própria sorte no meio do mato, tiraram-lhes até as sandálias. 
Meses depois do fato, em frente ao colégio em que as moças estudavam, numa sorveteria, parou uma camionete com dois homens, um desceu, entrou e se dirigiu à mesa onde quatro pessoas jogavam cartas. Perguntou quem era o genro da fazendeira Candinha, em meio ao grupo surgiu a voz arrogante a pronunciar, sou eu aqui e daí... o homem na maior calma do mundo, ergueu a mão que segurava um trinta e oito, e ainda mantendo a maior calma mandou dois "tecos"... e os balaços atingiram em cheio o peito do canalha que foi ao chão de costas. Conseguiu balbuciar “eu não quero morrer”... e morreu. 
O atirador era o pai de uma das meninas, toda a cidade sabia, ele não escondeu a cara, nem fugiu, pois voltou para a casa comercial onde era gerente. Não apareceu testemunha para contar o crime na delegacia, nem a esposa e a sogra dele se importaram, ou seja, Mister Eme mexeu com a pessoa errada. Coisas da vida.

*Cândido (personagem Voltaire)
*Varde (expressão utilizada na serra gaúcha, estou de varde, ou seja, estou desocupado)

Um brasileiro

Por Gilrikardo
 


O poder embriaga,
o poder corrompe,
o poder suga almas e
alimenta ideologias,
também em muitas
ocasiões provoca
perplexidade e
desencanto.

Meus pêsames,
senhor Afif.





quarta-feira, 14 de agosto de 2013

O tomate e o Brasil

Por Gilrikardo

Para entender certas coisas, o Brasil entre as quais, devemos buscar a resposta no tomate. Pode parecer estranho, mas desde o ano passado que venho acompanhando de perto a situação. Em julho por exemplo, comprei em oferta a cinquenta centavos o quilo, para dali a alguns dias verificar uma alta que elevou a cinco reais o quilo. Um absurdo. A explicação apontava o vilão: as chuvas de inverno. Tudo bem. Mantive minha observação, pois aqui em casa quem compra e descasca o bichinho sou eu. De julho a dezembro, foram tantas altas e baixas que pipocaram inúmeras reportagens tentando desvendar o mistério. Para mim nada significavam, ou melhor, não explicavam o preço que elevou o produto aos inacreditáveis nove reais o quilo... isso aqui em Joinville SC... vi nos jornais o registro de lugares onde estavam cobrando até doze reais o quilo. Um absurdo. Até da China, as empresas processadoras importavam. Pois bem, lá em julho do ano passado, prometi que não pagaria mais que três reais por quilo, e assim o fiz, era mais barato comprar latas importadas a dois reais, e para saladas dezenas de outras alternativas. Este ano, desde janeiro, o tomate continua em sua odisséia, altas e baixas, e parece que ao bel prazer de alguém... a qualidade também continua lá e cá... hoje, em pleno mês de agosto, procuro a cotação e encontro preço CEASA Sorocaba SP caixa com 22kg 73,30 = R$ 3,33 kg, esse deve chegar ao mercado custando mais que cinco reais, por outro lado em Minas Gerais, produtores se negam a colher a safra, pois o preço que lhes é oferecido pela caixa com 22 kg é R$ 1,00 (um real), quando o custo de produção é estimado em vinte reais. Esse é o Brasil, aliás esse é o tomate na trajetória do Brasil. Onde tentar entender dá uma trabalheira.

PS "Só para comparativos futuros, dólar hoje R$ 2,30"


terça-feira, 13 de agosto de 2013

Rola na rede

Assunto: O CERCO ESTÁ SE FECHANDO, NÃO RESTAM MAIS ALTERNATIVAS PARA RESOLVER OS GRAVES PROBLEMAS DO BRASIL. 

FAVOR ENVIAR PARA TODOS OS LÍDERES DAS MANIFESTAÇÕES NO PAÍS. 
SÓ ASSIM PODEREMOS SALVAR O BRASIL.
PARA SER ENVIADO PARA OS LÍDERES DAS MANIFESTAÇÕES NO PAÍS.

 
PEÇO QUE ESSE DOCUMENTO SEJA ENVIADO PARA:
OS LÍDERES DAS MANIFESTAÇÕES NO PAÍS.
 
ETAPA I – EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS
SOMENTE COM UMA INTERVENÇÃO CIVIL-MILITAR É QUE O BRASIL VAI SE LIVRAR DA CORRUPÇÃO E DA ROUBALHEIRA COMUNO-PETISTA.

ESSA INTERVENÇÃO SE DARÁ POR UMA DEMISSÃO COLETIVA COMPULSÓRIA DA PRESIDENTE E SEUS ASSESSORES DIRETOS OU POR AÇÃO DIRETA DOS MANIFESTANTES (EXCETO VANDALOS CUSTEADOS PELAS ONGs COMUNO-PETISTAS).

UMA DEMONSTRAÇÃO DE FRAQUEZA DA SOCIEDADE CIVIL IRÁ TRANSFORMÁ-LA EM UMA CUBA CONTINENTAL SOB O COMANDO DO FORO DE SÃO PAULO.

ESSA INTERVENÇÃO PRECISA SER FEITA POR UM MOTIVO MUITO SIMPLES E QUE NINGUÉM PODE NEGAR: OS PODRES PODERES DA REPÚBLICA FORAM TRANSFORMADOS EM COVIS DE BANDIDOS ACOMPANHADOS POR CÚMPLICES PÚBLICOS E PRIVADO, OMISSOS OU COVARDES, E AS ATITUDES DA PRESIDENTE E DE SEUS PARES DEPOIS DAS MANIFESTAÇÕES INICIAIS FORAM RIGOROSAMENTE LEVIANAS E MANIPULADORAS DA SOCIEDADE.

ETAPA I – EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS - COMPLEMENTO

A convocação da Juventude Vermelha custeada pelas ONGs para enfrentar os manifestantes, feita pelo ex-presidente Lula, um alvo de inúmeras investigações sobre corrupção, entre outros crimes, define claramente sua intenção como maior responsável pela destruição moral do Brasil, criar um clima de um golpe socialista no país, golpe coordenado pelo Foro de São Paulo.

Diante desse e de inúmeros fatos de traição ao país cometidos pelos que detêm o poder político-prostituído, já amplamente conhecidos e divulgados, existe um consenso nos comandantes militares - que não são lacaios da “presidenta” - e de praticamente todos os que estão na reserva, que basta a sociedade pedir em massa essa ação interventora que ela será executada.

Temos que deixar bem claro para as Forças Armadas que, ou eles cumprem sua missão de salvar o país das mãos dos bandidos encastelados no poder público e que promoveram uma hedionda degeneração nas relações públicas e privadas durante, principalmente, os desgovernos petistas ou iremos promover uma luta inicialmente desarmada, mas SEM TRÉGUAS, nas ruas, que certamente vai acabar em uma guerra civil pela reação que está sendo planejada ser armada pelos defensores do petismo vermelho, e as mortes decorrentes vão ser de responsabilidade exclusiva das Forças Armadas que se recusaram a cumprirem com o seu dever com a pátria para obedecer as ordens de bandidos.

ETAPA II – EXECUÇÃO DA INTERVENÇÃO PELA FORÇA DOSMILHÕES DE MANIFESTANTES QUE SE APRESENTAM PARA MUDAR O PAÍS.

Etapas em que os manifestantes precisam estar com celulares para filmar as agressões dos vandalos custeados pelas ONGs comuno-petistas que serão imediatamente transmitidas para o mundo através da internet.

1) Promover uma marcha para um cerco civil desarmado a Brasília sem temor das balas inimigas pois a opinião pública internacional irá se posicionar imediatamente a favor dos manifestantes pois todos sabem que o Brasil foi transformado no país que tem o poder público mais corrupto do mundo.

2) Promover um cerco civil a todos os aeroportos internacionais do país para evitar a fuga dos canalhas para o exterior.

3) Cercar sem danos o Palácio do Planalto e ocupar as instalações e aguardar a formação de um governo provisório.

4) Voltarem todos para os seus Estados para defenderem os atos da Junta Civil-Militar.

ETAPA III – INÍCIO DA INTERVENÇÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS –
 
MINHAS SUGESTÕES PARA SUAS FORMAS DE EXECUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO TEMPORAL DEFINIDAS PELA JUNTA EM TODO O ESCOPO DA REFORMULAÇÃO DO PROCESSO JUDICIAL DO PAÍS.

PLANO DE AÇÃO DA JUNTA CIVIL-MILITAR

Comunicado à sociedade:

As Forças Armadas diante do agravamento do quadro social com riscos relevantes de uma guerra civil, da perda de integridade do território nacional, do crescimento incontrolável da dívida pública, das cada vez mais frequentes invasões de propriedades privadas, da deterioração das estruturas econômicas do país, e diante da desordem institucional e do apodrecimento moral dos poderes da República país, decidem fechar o Parlamento pelo prazo de cinco anos intervindo no poder público através de uma junta civil militar, com jurisdição independe de outros poderes formalmente estabelecidos com os seguintes objetivos envolvendo diversas áreas do Estado:

- nomear a junta formada pelos comandantes das três armas que terão poderes de vetos sobre as decisões da junta, um líder civil que tomará a decisão final em casos de conflitos decisórios de menos de 2/3 dos componentes da Junta, 3 juristas sem passagem pelo submundo do poder Judiciário, 1 promotor geral e dois representantes dos empresários não envolvidos com o governo petista que terão seus grupos estaduais trabalhando para reformular a estrutura econômica do país.

- destituir por Ato Institucional a presidente, seu vice e todos os seus assessores diretos, e definindo as normas gerais de convivência da sociedade com a Junta Civil-Militar,

- criar imediatamente o Superior Tribunal Civil-Militar com poderes para rever, confirmar ou refazer as decisões dos outros Tribunais sem direito a contestação em outra instância,

- criar o Ministério da Corregedoria e Auditoria Pública, subordinado ao Ministério Público para investigar todos os crimes cometidos por funcionários públicos concursados ou não de todos os escalões, assim como os abusos cometidos pelas polícias federal, civil e militar em todo o país durante as manifestações,
 
- transformar o tráfico de drogas ou armas, a corrupção e o suborno envolvendo agentes do poder público em crimes hediondos, inafiançáveis e sem direito a redução de penas, independentemente da função exercida pelos autores dos crimes,

- implantar a pena mínima de trinta anos sem direito a fiança ou redução de penas de traficantes ou fornecedores de drogas ou armas ilegais,

- criar centros de internação compulsória para todos os viciados em drogas,

- reduzir a maioridade penal para 10 anos, podendo enquadrar os pais ou responsáveis, conforme as circunstancias juridicamente avaliadas, acusados como cúmplices por omissão dos crimes dos seus filhos,

- eliminar qualquer segredo de justiça para os investigados por corrupção, suborno, prevaricação e tráfico de drogas ou armas, com seus processos tendo livre acesso da mídia,
 
- suspender imediatamente as investigações sobre as ações das Forças Armadas durante o Regime Militar em absoluto respeito à Lei da Anistia e destituir a Comissão da Mentira iniciando investigações sobre a legalidade dos atos de perseguição às forças armadas pelos seus membros,

- eliminar todas as funções burocráticas para oficiais e comandantes militares das Forças Armadas, dentro e fora do país, que não sejam diretamente ligadas à Segurança Nacional,

- reformular o processo jurídico em uma nova Constituição provisória, para entre outras medidas, para não mais permitir a impunidade dos praticantes do ilícito financeiro nas relações público-privadas e limitar as sub-reptícias instâncias jurídicas que permitem postergações de execução de penas contra os condenados por crimes,

- eliminar todos os critérios de imunidade que protegem os corruptos da ação da Justiça,

- garantir aos meios de comunicação irrestrito acesso aos atos da Junta Civil-Militar e suas motivações,
 
- proibir qualquer tipo de censura prévia à mídia deixando para o âmbito do Ministério da Justiça e Auditoria Pública a responsabilidade de investigação e punição nos rigores das leis de crimes cometidos pelo jornalismo, mas preservando o livre direito de opinião sobre os atos do governo – Junta Civil-Militar,

- garantir a livre manifestação da sociedade que não comprometa de forma relevante o direito de ir e vir da população e que não provoque danos ao patrimônio público, com penas de reclusão mínima de 1 ano sem direito a fiança para os que incidirem nos crimes previstos nos atos jurídicos da Junta Civil-Militar,
 
- garantir que qualquer líder dos movimentos sociais sejam recebidos pelo um representante da Junta Civil-Militar com a ampla divulgação do mérito das reivindicações e da respostas ou das providências resultantes,

- promover a total independência da Polícia Federal nas investigações dentro do escopo de sua atuação legal,

- congelar todos os empréstimos feitos às meios de comunicação pelo BNDES e reduzir em 50 % as verbas de publicidade,

- discutir com a sociedade um novo Regime Político para o país para ser formalizado findo o prazo definido pela Junta Civil-Militar interventora e após consulta formal à sociedade através de um plebiscito que decidirá pela prorrogação de sua atuação, ou para a eleição livre de representantes no Regime Político previamente aprovado pela sociedade através de um outro plebiscito,

- proibir qualquer político das instâncias federal, estadual e municipal de concorrer a qualquer cargo eletivo no futuro no caso de estarem sendo investigados por corrupção ou já aterem sido condenados por qualquer crime.

- rever no prazo de cinco anos a estrutura do poder público e as regras para o seu funcionamento,

- rever todas as indenizações e pensões vitalícias pagas para os que possam ser classificados como terroristas envolvidos em crimes durante o Regime Militar ou eliminar gritantes abusos cometidos no estabelecimento dos seus valores,
 
- utilizar os mesmos critérios para a concessão de indenizações e pensões vitalícias para as famílias dos que foram assassinados pela esquerda comunista durante o Regime Militar,

- garantir a independência do Banco Central com dirigentes de carreira ou indicados pela Junta Civil-Militar,
 
- colocar a Segurança Nacional sob o comando direto dos chefes das Forças Armadas subordinados diretamente à junta civil-militar,

- acabar com a Força de Segurança Nacional e fazer com que o Exército, a Marinha e a Aeronáutica tenham forças dessa natureza e independentes para agirem nas situações de risco de desordem civil e agressão externa, com a coordenação direta da Junta Civil-Militar,
 
- reajustar o salário dos soldados e oficiais das Forças Armadas dando-lhes condições dignas de vida, de sustentação de suas famílias e de educação de seus filhos,

- criar o Plano de Segurança Nacional que permitirá uma ampla modernização e compra de equipamentos militares para proteger o país da ação devastadora da expansão da esquerda comunista na América do Sul,

- promover a oportunidade para que todos aqueles que desviaram dinheiro dos contribuintes, sob inspiração de governos corruptos, se apresentem a um Tribunal Especializado para negociar o pagamento de suas dívidas com a sociedade, evitando suas prisões pela pena mínima prevista para esses casos, que poderá ser revista como reciprocidade de denúncias dos nomes dos corruptores e subornadores,

- repatriar todo o dinheiro depositado no exterior e comprovadamente resultante do roubo do dinheiro do contribuinte e de outros atos ilícitos,
 
- reformular o processo de indicação de componentes dos Tribunais Superiores do país para estancar a atuação de magistrados comprometidos com interesses políticos que não sejam compatíveis com a correta aplicação da justiça e no atendimento aos interesses maiores da sociedade,
 
- criminalizar a atuação de lobistas dentro do poder público que incentivem a prática do ilícito da corrupção e do suborno.

- garantir a imediata prisão dos corruptos condenados pelos Tribunais Superiores proibindo refúgios na tramitação de recursos legais sub-reptícios,

- proibir imediatamente o desvio do dinheiro público para o favorecimento de relações internacionais sem contrapartida direta dos interesses econômicos e sociais do país,
 
- reformular a atuação do BNDES congelando seus empréstimos que não sejam em condições normais de mercado após pedidos formais e públicos dos tomadores, empresas, governos estaduais e prefeituras,
 
- congelar durante dois anos o pagamento das dívidas de estados e municípios com a contrapartida da promoção de desenvolvimento econômico gerador de empregos que se não cumpridas resultarão na prática de crimes de responsabilidade punidos conforme as leis vigentes,
 
- após o congelamento limitar o pedido de novos empréstimos e ampliar os prazos de pagamento de empréstimos já obtidos,

- reduzir a carga tributária trabalhista para a pessoa jurídica em 30 % e reduzir gradualmente os limites do paternalismo estatal aos empregados das empresas públicas e privadas,
 
- tributar de forma adequada as classes mais abastadas do país e reduzir a tributação da classe média,

- proibir o ingresso no serviço público de candidatos que não sejam concursados e sob regime trabalhista idêntico aos das empresas privadas,
 
- promover, em caráter de urgência a construção de 20 presídios federais para acolher condenados por corrupção, suborno e prevaricação, entre outros crimes contra a sociedade,
 
- reformular e privatizar gradualmente o sistema prisional do país obrigando a criação de centros profissionais de recuperação em todos eles com a supervisão de entidades empresariais que formularão uma estratégia de colocação profissional para os presos com comportamento produtivo e exemplar durante suas penas,
 
- proibir imediatamente o uso de cartões corporativos implantando o regime formal de pagamentos antecipados com base em rubricas orçamentárias ou reembolsos autorizados por auditorias internas,

- eliminar em 50% as despesas com propagandas oficiais e de subsídios a atividades não vinculadas diretamente ao poder público,
 
- no prazo de dois anos reduzir o tamanho da estrutura dos Poderes Legislativos e do Poderes Executivos nos governos federais, estaduais e municipais em 50 %.

- reduzir em 50 % os salários dos futuros senadores, deputados, como de seus benefícios diretos e indiretos findo o termino da intervenção civil-militar no país,

- reduzir em 50 % os salários dos atuais deputados, senadores e vereadores que terão, temporariamente, a função de legislar administrativamente sobre as decisões da junta civil-militar e como prestadores de serviços na elaboração dos projetos necessários a revolução econômica, educacional e cultural do país,

- eliminar 50 % dos cargos não concursados de suporte às atividades legislativas sendo que seus ocupantes terão também suas remunerações reduzidas na mesma proporção dos seus superiores,
 
- após a intervenção civil-militar eliminar os cargos de vereadores remunerados ficando aberta a opção de cargos de vereadores voluntários apenas com direito a uma ajuda de custo de moradia e alimentação,
 
- reformular o papel das polícias civil e militar dando-lhes autonomia para cumprirem seus papéis constitucionais, sob a supervisão legal dos poderes públicos estaduais, municipais e como o acompanhamento do Ministério Público,

- proibir a implantação de Forças de Segurança Pública paralelas as Forças Armadas e as Polícia Civil e Militar,

- permitir que todos os cidadãos previamente treinados pelas polícias estaduais portem até 03 armas de fogo, com calibres previamente definidos pela polícia federal, no interior de suas propriedades, para a defesa do seu patrimônio da família,

- implantar o regime de prisão sem direito a fiança a todos os que cometerem crimes com armas de fogo sem que sejam caracterizados como atos de defesa da vida ou do patrimônio,
 
- reafirmar a autorização das polícias federal, civil e militar a reações com armas de fogo na resistência armada a prisões por mandato ou em flagrante, ficando os agentes livres de punição na caracterização da necessidade de defesa de suas vidas e do cumprimento de ordens judiciais,

- permitir que profissionais que atuem em atividades com alto risco de assalto possam portar armas registradas pela Polícia Federal,

- acabar com todos os tratamentos diferenciados – imunidades - nas ações judiciais impondo o princípio de que todos são iguais perante a lei nos direitos e deveres,
 
- dar total transparência à sociedade dos gastos do governo eliminando qualquer tipo de confidencialidade na prestações de conta com o contribuinte,
 
- impor o absoluto respeito à propriedade privada que, sem previa autorização judicial por força de julgamento do mérito do seu legítimo dono, não poderá ser questionada, passando a serem suas invasões qualificadas como crimes que deverão ser sumariamente punidos com a prisão imediata dos invasores e sem direito a fiança,
 
- promover a privatização de empresas estatais, com atividades semelhantes às empresas privadas nacionais ou internacionais, mas que subvertam os princípios da moralidade, da ética, da eficiência e do lucro por terem sido transformadas em cabides de emprego obtidos por indicação e não por mérito,

- modernizar o parque industrial do país com a permissão de livre importação de máquinas e equipamentos com redução de 50 % de impostos de importação durante dois anos,
 
- promover a entrada de multinacionais no país ou a ampliação das atividades das já existentes através de vantagens tributárias que promovam retorno para a sociedade através de maciça geração de empregos,
 
- impedir qualquer obstáculo ao trânsito de capitais produtivos seja na aplicação ou no retorno para os seus acionistas,
 
- proibir a formação de monopólios, oligopólios ou cartéis que comprometam a livre concorrência,
 
- promover a divisão de empresas que comprometam a concorrência ou a segurança nacional pela multiplicidade de sua atuação econômica no país,
 
- promover a multiplicação de empregos na iniciativa privada com o desenvolvimento auto sustentado do país,
 
- reformular o Ensino Básico do país iniciando com o reajuste dos salários dos professores que passam a ter um piso nacional digno para uma vida digna e que permita seu aperfeiçoamento profissional,

- promover a multiplicação de Escolas Técnicas e Militares em todos os estados em número proporcional aos seus habitantes,
 
- dentro de cinco anos acabar com os vestibulares utilizando o mérito do histórico escolar para a obtenção de vagas em universidades públicas e particulares, com um regime automático de bolsas de estudos por mérito escolar e,

- implantar avaliações nacionais para todas as carreiras universitárias como instrumentos de validação da conclusão dos cursos,

- eliminar de vez as famigeradas bolsas promotoras da vadiagem, tais como: auxilio natalidade (fábrica de pobres), bolsa família, bolsa prostituta, seguro desemprego, auxilio reclusão para criminosos e seus familiares, e, decretar o fim sumário e compulsório de todas as ONGs COMUNO-PETISTAS e assemelhadas, e

- estabelecer prazos para os que recebem as famigeradas bolsas assistencialistas do governo tenham atividades profissionais que resulte em renda suficiente para o seu sustento e de sua família.

A junta Civil-Militar promoverá ao longo de sua atuação com a participação do Ministério Público e dos Tribunais superiores a reforma constitucional e seus códigos legais decorrentes.

Geraldo Almendra

PEÇO MASSIVA DIVULGAÇÃO!